Projeto altera Lei do Silêncio em Jarinu

Nova redação da Lei dá poderes de fiscalização à Guarda Municipal

Proposto pela vereadora Tânia Abrantes – DEM, o PL (Projeto de Lei) 06/2017, propôs a alteração de alguns pontos da Lei do Silêncio de 2001. Um dos pontos da proposta amplia o poder de fiscalização, e autuação, da Guarda Municipal possibilitando aos GMs a aplicação da lei.

O primeiro a se manifestar, durante as discussões do PL, foi o vereador do PPS, Chikinho Lava Kar, que se mostrou contrário, não por ser apoiador do barulho que tira o sossego das pessoas, mas pelo motivo, no seu entender, de a proposta diminuir ainda mais as opções de lazer, principalmente dos jovens que não encontram, em Jarinu, atividades culturais ou sociais nos finais de semana.

A vereadora Tânia, em defesa de seu projeto, explicou que a ideia não é acabar com festas ou opções de lazer, mas sim de se coibir abusos, principalmente de grupos que vêm de fora da cidade e extrapolam qualquer limite tolerável.

O vereador Clóvis Calixto novamente mencionou ser da Guarda Municipal, especificamente na Central de Chamadas, e afirma o grande número de reclamações que recebe nos finais de semana pedindo à GM que intervenha junto a festas e eventos, principalmente em chácaras alugadas, para a diminuição do volume do som destes locais.

O vereador João Lorencini – PROS, foi outro que acompanhou a posição da autora do PL e salientou que convivendo-se dentro de limites todos podem assegurar seus direitos.

O PL foi votado e aprovado.


Publicado em: 22 de junho de 2017

Cadastre-se e receba notícias em seu email

Compartilhe

Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter